Jogos digitais passam a ser ferramentas de ensino em salas de aula

O uso de jogos em sala de aula está cada vez mais frequente. Com o propósito de atrair a atenção do aluno e ensinar de uma forma mais divertida, surgiu até um termo para isso  – “gamificação”.  Entre os líderes da lista está Minecraft, jogo que permite criar qualquer estrutura usando blocos. O  colégio Porto Seguro, localizado na região do Morumbi em São Paulo,  utiliza o game nas aulas de história. Depois de aprender a teoria, os alunos são convidados a recriar no universo digital do game o que aprenderam.

Além do famoso game que foi lançado em 2011, a lista de opções não para de crescer.  A Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, desenvolveu o Portal Ludo Educa Jogos, onde estão reunidos diversos jogos educativos e com acesso gratuito. Um dos jogos tem como objetivo auxiliar no processo de alfabetização – Ludo Primeiros Passos, que foi lançado em 2012 e finalista na categoria de jogos educativos da Games Show do mesmo ano.

Para Raphael Braga, diretor de produtos da escola de desenvolvimento de jogos e entretenimento digital, Redzero, escola com pouco mais de três mil alunos entre 10 e 18 anos,  a educação a partir do  jogos  é uma forma de estimular a capacidade cognitiva.  “As diferentes mídias que compõem um game contribuem ainda para a interação com outras pessoas, o tratamento de fobias, conhecimento de outras línguas e culturas, bem como fortalecimento do trabalho em equipe”.   Braga também cita que os  jogos têm foco não somente no conteúdo a ser transmitido, mas também no desenvolvimento de outras habilidades “Os games ajudam estudantes a desenvolver habilidades relacionadas à tomada de decisões, entendimento de regras, capacidade de resolução de problemas, raciocínio rápido, estratégia, antecipação e perseverança”finaliza.

Post Author: Vanessa Luckaschek

Formada em Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi, faz aniversário em Setembro e sempre está lendo alguma coisa. É fã de cinema, games, tecnologia e esportes. Gosta de escrever e sempre está em busca de pautas legais para uma próxima matéria. É editora no Caderno Nerd e responsável pela criação do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *