Startup gaúcha oferece app para economizar nas trocas de câmbio

 

O final do ano está chegando. Se para alguns isso é sinônimo de natal, presentes e comes e bebes à meia noite, para outros é sinônimo de que o período de viajar está próximo.   Pensado para o público que precisa economizar e fazer o dinheiro render para aproveitar as férias, principalmente viajantes de plantão que querem usar a tecnologia para comprar e vender moedas, negociando seu próprio valor ao trocar dinheiro, sem burocracia e com economia,  o aplicativo GoMoney está sendo relançado no mercado.

Segundo Maurício Pires, CEO da startup,  o app inova por oferecer novas possibilidades de negociação em poucos clicks.  “Queríamos oferecer mais opções para os usuários além de câmbio, e sabemos que assim atrairíamos um público maior ainda, pois será possível vender aquelas joias que você tem guardadas e conseguir um extra ou, ainda, fazer a transação com a moeda virtual que ganha cada vez mais espaço no mundo.

Tecnologia e Segurança – Inspirado no AirBNB, a ideia para o GoMoney foi criar uma alternativa mais democrática e acessível no mercado de câmbio, que pode ser acessada via Web (através de desktop ou celular) e também como aplicativo.

O GoMoney está disponível para aparelhos Android na Google Store desde o fim do ano passado e também pode ser instalado em iPhones, através do formato Webapp. Maurício explica que, dessa forma, podem garantir que o usuário tenha acesso gratuito ao app em todo o processo de sua utilização, o que vai de encontro ao objetivo do GoMoney, que é fornecer uma experiência isenta de cobrança.

Na foto, Maurício Pires, CEO GoMoney
Na foto, Maurício Pires, CEO GoMoney

A  reformulação do app também tem entre as novidades a integração com o Facebook.  Com isso,  é possível verificar a procedência e até mesmo se o negociante é razoavelmente confiável.    Ao iniciar o status de negociação, o grande diferencial do  GoMoney é não apontar de forma precisa a localização do vendedor.  Pires explica que ao se interessar por alguma proposta,  o comprador apenas consegue verificar o raio de distância até o vendedor.  Finalizar e combinar detalhes de troca ou entrega também é possível fazer diretor pelo app,   Quando a opção for pessoalmente, o aplicativo frisa que o encontro deve ser feito em local público. Após fechar negócio, é possível que ambos usuários se avaliem, gerando um ranking de melhores contatos, semelhante ao usado pelo Mercado Livre.

Estimular experiências – No caso do câmbio, foco principal do GoMoney, os usuários combinam entre si, no espaço reservado para o bate-papo, os valores pelos quais vão comprar e vender suas moedas. O aplicativo oferece uma tabela com as cotações de cada divisa para ser utilizada como base, mas o preço final é sempre decidido na hora da negociação. Essa autonomia, explica Maurício, permite que as pessoas encontrem sempre o melhor valor pela moeda e possam economizar de forma significativa, comparando com o que conseguiriam se fossem a um operador do mercado.  Quem quiser comprar ou vender ouro ou prata poderá escolher a opção por valor financeiro ou por peso.  “Com o dinheiro que você economiza com o GoMoney, você pode pagar para saltar de um prédio em Las Vegas, por exemplo”, brinca o CEO, que reforça o perfil do aplicativo de ajudar o usuário a obter o melhor valor pela transação e usar a economia feita para aproveitar melhor a vida com experiências transformadoras.

Questionado sobre como surgiu o GoMoney,  Pires responde. “Depois de uma noite muito divertida no México, eu subi num ônibus para voltar para o hotel e me dei conta de que não tinha trocado, um dólar exatamente, para pagar a passagem. Teria que desembolsar cinco dólares porque o motorista afirmava não ter troco. Um passageiro se levantou do nada e me ofereceu o dinheiro contado para seguir viagem. ‘Como eu vou te devolver?’, perguntei. ‘Não esquenta. Faz alguma coisa boa por alguém também’. E assim nasceu o GoMoney”.

Post Author: Vanessa Luckaschek

Formada em Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi, faz aniversário em Setembro e sempre está lendo alguma coisa. É fã de cinema, games, tecnologia e esportes. Gosta de escrever e sempre está em busca de pautas legais para uma próxima matéria. É editora no Caderno Nerd e responsável pela criação do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *