Crítica | Moana – Um mar de aventuras

Não que exista algo errado com o “ser princesa”. Princesas Disney tem um quê de poder e carisma e até certas mensagens como superação, força e disciplina,  mas na...

Não que exista algo errado com o “ser princesa”. Princesas Disney tem um quê de poder e carisma e até certas mensagens como superação, força e disciplina,  mas na atual situação global,  optar por algo que reflita como é o ser mulher em pleno 2017 é mais atrativo, e , Moana conseguiu levar isso às telas.   Desde Mulan ( 1998),  nenhuma animação trouxe uma mensagem tão forte como Moana que é dirigido por  Ron Clements e John Musker.   image005

Desde a infância, Moana é atraída pelo mar.  Filha do chefe da aldeia e neta da anciã,  a jovem tem como tradicional destino herdar do pai os cuidados com seu povo. Entretanto, seu vilarejo começa a sentir os efeitos de uma muito antiga maldição, lançado após o semideus Maui roubar o Coração de Tefiti, uma poderosa pedra que mantém tudo em harmonia.  Determinar a pôr um fim à maldição, Moana dribla  o pai e embarca na busca do do semideus.

Moana e Maui Moral da história –  Acertando em cheio com excelente qualidade visual, personagens com personalidades bem desenvolvidas, cenários paradisíacos e trilha sonora impecável,  a animação ganha o primeiro ponto por consolidar a máxima de que “Lugar de mulher é onde ela quiser!”.     Além disso,  Moana também é a representação da força de vontade – Maui vê que seu força vem de um artefato mágico que lhe foi atribuído ainda jovem por deuses e Moana, acredita que a força está na vontade de fazer o certo.    O filme também mostra o lado das tradições e como o pensamento muda de acordo com a geração e a personagem vai trazer ao povo todo seu desejo e conhecimento aventureiro. Moana – Um mar de aventura chega ao cinemas em 5 de janeiro de 2017

 

Categories
Filmes
No Comment

Leave a Reply

RELATED BY